Uma Sociedade de Hienas e a Inveja do Clitóris

Publicado: 18.04.2012 em feminismo, Freud, homem, Inveja do Pênis., Lei Maria da Penha, machismo, Mulher, Sociedade
Capa da revista masculina americana Esquire de 1965 que
discutia o novo papel da mulher numa sociedade
onde elas tomavam espaços que antes pertenciam
só aos homens.
Imagem
Freud (1856~1939) construiu uma teoria sobre a inveja do pênis (ou complexo de castração)[1920] que a menina sentia do menino, ao perceber que não possuía um pênis, esta teoria aborda a origem da homossexualidade feminina, além da constante necessidade que a mulher possuía de se igualar ao homem, invejando a liberdade que o homem tem a partir do próprio corpo, por fazer xixi em pé, e não usarem o papel penico!; É a simples inveja de ser homem! 

Embora não me ache capaz de falar sobre Freud, acredito que, se esse gênio da psicologia vivesse hoje, com toda certeza ele teria duas impressões: que sua teoria da Inveja do Pênis estava certa, e que precisaria escrever outra teoria: A Inveja do Clitóris; Podemos definir assim, porque, ao que parece, essa preocupação feminina mencionada na teoria freudiana, parece meio que irrelevante no contexto atual ao sexo chamado frágil. A mulher chegou a uma situação tão confortável diante do homem, que, os papéis se inverteram e hoje é o homem que deve sentir inveja do ‘micro-falo’ feminino, pois, segundo alguns biólogos, o clitóris, que também possui sua alteração estrutural quando levado a um estímulo, assim como seu irmão maior, o pênis, e por isso é carinhosamente considerado uma espécie de pênis em miniatura. 

Semelhanças a parte, parece que na sociedade humana o clitóris está começando a desempenhar o papel do pênis; quase que uma anomalia, este pequeno órgão feminino, parece ter crescido e aparecido, causando inveja ao órgão masculino, tão ovacionado pelos obeliscos levantados por culturas antigas e amantes dessa filosofia de culto ao falo masculino; Essa atuação mais atuante da mulher numa sociedade até então dominada por homens, parece produzir uma inibição social do macho, inferiorizando-o ao invés de iguala-lo a fêmea. Trata-se de uma verdadeira castração dos meninos e um brutal implante de um pseudo pênis nas mulheres. 

Desde A Queima dos Sutiãs (7 de setembro de 1968), a mulher logrou seu espaço, quebrou tabus, preconceitos, e criou novos conceitos e padrões de comportamento, e isto é tanto louvável quanto invejável, pois, à medida que a mulher corria em direção ao homem, este estagnou no seu lugar. O mais curioso disso, não é o avanço da mulher, nem a estagnação do homem, mas o objetivo feminino, que nunca foi igualar-se ao homem, mas o de superá-lo, em revelia disso, o sedentarismo masculino permitiu favores ao gênero oposto que o coloca em desfavorecimento diante de uma sociedade que parece estar convergindo para um matriarcalismo. 

Em algumas sociedades animais, é a fêmea que domina, criando um verdadeiro sistema matriarcal (ex.: Hienas); determinada espécie de ave, possui uma sociedade mais elaborada na sexualidade, é a fêmea corteja, disputa e ainda têm a regalia de entregar o ovo ao macho para ser chocado deixando o filhote ao seus cuidados, entre as Emas, o macho ainda corteja, mas o cuidado com os ovos e futuras crias, fica com o pai, que, tenta agregar a si, o maior número de unidades para aumentar sua prole. Entre os cavalos-marinhos, o macho é quem engravida! Entre os peixes ornamentais, muitas espécies dispensam as fêmeas e cuidam dos seus alevinos (ex.: Peixe-Beta). 

Não abordamos os fatos das mudanças sociais como por exemplo: repressão à violência contra a mulher, exercício de cargos de chefia, lideranças, e projeções acadêmicas e profissionais, definitivamente não! essas mudanças devem e deveriam ter acontecido há muito mais tempo; o que abordamos é esta eterna guerra dos sexos, em que o homem parece querer se redimir de suas brutalidades passadas e presentes, através de uma rendição sem limites, subservindo aos caprichos de algumas mulheres, militantes de feministas extremas, que sofrem visivelmente da Inveja do Pênis, querendo não a igualdade, mas a superioridade de um gênero sobre outro, querendo sublimar suas frustrações fálicas, através de imposições legais que colocam o home e a mulher não mais como iguais, mas como duas espécies em constante desequilíbrio, nunca acertando seus ponteiros por questões de mera rivalidade. Isso me faz recordar de um projeto de um amigo: Abrir uma fábrica de Bigodes! é! já que as mulheres não pretendem ser mulheres, mas homens superiores! nunca iguais, mas subjulgando como foram subjulgadas, fazendo injustiças como sofreram injustiças! Esse empreendimento poderia ser muito rentável, já que o homem possui a matéria prima para fazer um bigode autêntico! 

Que exista a Lei Maria da Penha!, mas que haja também uma Lei José do Rochedo! já que somo todos iguais! que a tenha sua integridade protegida, mas que haja punição para aquelas que usam desses direitos para levar as autoridades cometerem injustiças, como é sabido de mulheres que forjam estupros, agressões, e humilhações, levando muitas vezes testemunhas falsas para validar a acusação, conduzindo homens a situações vexatórias desnecessáriamente… Viva a Igualdade entre Homens e Mulheres! Abaixo a superioridade entre os gêneros sexuais. Não podemos permitir que haja injustiças progressivas e justiças regressivas! A evolução deve ser para que se cumpra a Carta Magna, que roga a igualdade e a justiça entre os homens (inclua-se também as mulheres!!!)!

Imagem
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s