OS 10 PIORES DEMÔNIOS DA TEOLOGIA (OU MITOLOGIA)

Publicado: 30.07.2012 em Curiosidades, demonios, mitologia
Imagem

Religioso ou não, demônios sempre foram tema presente pelas eras e nações, povoando livros, filmes e mesmo a música. Filmes, como “Paranormal Activity”, “O Exorcista”, “O Exorcismo de Emily Rose”, “The Last Exorcism” são recheados desses seres que nos fazem arrepiar em sua maldade. No entanto, filmes raramente passam da superfície do quão mal esses ex-funcionários corruptos de Deus (ou em outras culturas, semi-deuses ) podem ser.


Antes de apresentar a ordem de forma aleatório (sem nenhum grau de importância ou nocividade), pediria aos “demonólogos” de plantão que não utilizassem o que aqui vai relatado, como fonte de referência em suas pregações: a matéria aqui não busca a exaltação à demonologia. A intenção é apenas informar, além de mostrar como existem similaridades nessas “mitologias” apesar de estarem separados por oceanos e eras de distância, entre uma crença e outra.


10º LUGAR 
Abyzou 
Origem: mitologia judaica
Também conhecido como: Abizou, Obizu, Obizuth, Obyzouth e Byzou
Era crido que este demônio feminino era responsável por abortos espontâneos, nati-mortos, e a mortalidade infantil. As “Abyzou” eram tidas como inférteis, e por inveja, buscavam provocar esses atos. Ela é muitas vezes representado por serpentes e até mesmo como ser aquático.
9º LUGAR  

Agares
Origem: demonologia cristã
Também conhecido como: Agreas
É dado a este demônio “masculino” o dom da paralisação, o que no caso de uma fuga (de uma tsunami ou um agressor) é extremamente nocivo. Também é dito ser um dos demônios controladores de terremotos. Agares possui o domínio dos idiomas, com foco na palavrões e insultos étnicos.

A ele também é creditado ser governante da zona oriental do Inferno, e ele diz-se ter 31 legiões de demônios sob seu comando. É dessa lista um dos, (se não a mais) bizarro em sua aparência: frequentemente retratado como um ancião pálido montando em um crocodilo, com um falcão atado a seus punhos.


8º LUGAR 
Aka Manah 
Origem: mitologia zoroastriana
Também conhecido como: Akem Manah, Akoman, Akvan

Seu nome significa “manah fez mal”, neste caso, a palavra “manah” representa “a mente”. Muitos se referem a ele como o demônio das “más intenções”, “mente do mal”, “o propósito do mal”, ou “maus pensamentos”. Seu trabalho: Evitar que pessoas cumpram suas obrigações morais (isto é:. Ser um bom pai, salvar uma vida, honestidade, etc)




7º LUGAR 
Ala
Origem: mitologia pré-eslava, eslava e demonologia cristã
Também conhecido como: plural: Ale

Ale são alguns dos poucos demônios nesta lista que não só fazem maldades, mas podem ser persuadidos a fazer boas ações, ou mesmo auxiliar alguém. Estão ligados às condições de tempo (mais comum são granizo e trovoadas) sobre fazendas, pomares e vinhas, a fim de destruir as culturas(alguns “teólogos” das igrejas neo-pentecostais associam esses com os gafanhotos citados no livro do profeta Joel . Alimentar-se de crianças é outra atribuição a estes. Acreditava-se que os Ale, quando realmente famintos, eram capazes de comer parte da luz da lua, ou mesmo o sol, criando assim os eclipses. Tidos como grande ameaça ao estado “físico e mental, por serem capazes de incorporar em médiuns. No entanto, se você se aproxima de um Ala com confiança e respeito, este e os outros Ale serão capazes de salvar sua vida, sempre que necessário, e até torná-lo rico! Caso você não queira muita amizade com os Ale, saiba que eles tem pavor de águias (?). Pessoas que conseguiram vê-los relatam formas diversas; alguns dizem que parecem com os corvos, outros, como nuvens ou ventos escuros; muitos relatam semelhança com cobras ou dragões femininos. Acredita-se que vivem em lagos, nascentes, nuvens, montanhas inacessíveis, florestas, cavernas ou árvores gigantescas.

6º LUGAR  
Asag 
Origem: mitologia sumeriana

Asag é um dos muitos demônios causadores de doença. “E daí?”, você diz, “o que difere de outros demônios que causam doenças?”. Bem, segundo a mitologia, ele manteve relações sexuais com todas as montanhas do mundo, tendo assim ninhadas de “diabos-rocha”, descendência criada para defende-lo em qualquer batalha. A ele é creditado uma feiura incrivelmente profunda, que é capaz de ferver mares e rios, apenas por vê-lo a distância.


5º LUGAR 
Belphegor 
Origem: demonologia cristã e mitologia cabalística


Belphegor é absolutamente inacreditável: Começou sua carreira na Assíria há milênios. Era conhecido por Baal-Peor, e era associado a orgias, e outros tipos de perversões. Os israelitas adoravam na forma de um ídolo fálico(em formato de pênis). Mais tarde, na mitologia cabalística, era tido por tornar pessoas paranóicas, ou mesmo, usando da ganância nativa no ser humano, seduzia-os com dinheiro e riqueza patrimonial. Difícil dizer que é complicado achar matéria para invocar Baal-Peor, já que ele exige excremento humano como oferta (talvez daí surja a crença que sonhar com fezes significa dinheiro)! No século 16, ele mudou seu nome para Belphegor, e mudou – levemente – sua estratégia. Ele abandonou a ideia de causar desconfiança mútua nas pessoas, e ao invés disso, concentrou-se nas invenções. Ele “sugeriria” aos inventores criações absurdas (ainda que plausíveis), e então usar sua capacidade de estimular a ganância a sua habilidade de gerar a cobiça pelo sucesso.

Segundo a lenda, Belphegor foi enviado do Inferno para espalhar justificativas contra e desmentir os rumores de que o casamento poderia resultar em felicidade, mostrando que não há condições de ser feliz dentro de um matrimonio. Foi quando ele optou em permanecer na Terra. Seus atributos mais bizarros: Conta-se ser física, mental e estrategicamente mais forte no mês de Abril, e no inferno é embaixador de Satanás para a França. Belphegor também desempenhou um papel no livro de Milton, “Paradise Lost”.

É comummente retratado como um ser de hedionda barba com chifres e garras, ou uma bela jovem.

4º LUGAR 
Jikininki
Origem: mitologia japonesa budista

Jikininki são espíritos de pessoas egoístas, gananciosas ou maldosas, já falecidas. Diz-se estarem amaldiçoados a praticar a necrofagia (alimentar-se de cadáveres humanos). Também é dito que levam objetos de valor dos cadáveres, a fim de subornar vigilantes ou funcionários locais, para não serem incomodados. Diferentemente da maioria dos demônios, eles realmente odeiam o que se tornaram, e estão em um estado constante de auto-rejeição e auto-aversão. Alguns relatos afirmam que eles são tão aterrorizantes, e que os que os vêem, ficam paralisados de medo. Outros indicam que os Jikininki podem assumir a forma de seres humanos normais, e até mesmo levar uma vida aparentemente normal de dia. Eles são notáveis ​​na medida em que, ao contrário de outras gaki ou rakshasa (“fantasmas famintos”), e os fantasmas de um modo geral, eles são uma espécie rara, se é que se pode usar tal termo nesse contexto.


3º LUGAR 
Pontianak
Origem: mitologia indonésia
Também conhecido como: Kuntilanak, Matianak, ou Boentianak

Os Pontianak são espíritos de mulheres que morreram durante o parto, tornando-se mortos-vivos. Pontianak buscam assustar as pessoas (principalmente homens), e depois arrancar seus órgãos internos para a alimentação com as suas garras. No caso dos homens que os Pontianak descubram que quando eram vivos abusaram sexualmente ou traíram seus cônjuges, removem a genitália do homem com as mãos nuas. São muito parecidas com vampiros, no entanto, agem mais por vingança, em vez de necessidade ou sustento.
Também é difícil julgar qual distância estão já que um grito alto significa que o Pontianak está longe, enquanto um grito suave significa que o Pontianak fica nas proximidades. Diz-se também que uma fragrância floral leve é ​​detectada a primeira vista, no entanto, as mudanças de odor mudam para algo podre depois de um curto período de tempo. Acredita-se que vivem em bananeiras.
2º LUGAR 

Senhora do meio-dia.
origem: mitologia eslava
Também conhecido como: Pscipolnista, Poludnica, Polednice
“Dama do meio-dia” é, certamente, um demônio exclusivamente fêmea. Com perguntas complicadas, feitas com vocabulário rebuscado, procurava trabalhadores nos campos e lugares ermos e abertos, geralmente nos dias quentes de verão, ao meio-dia, horário mais quente do dia. Qualquer resposta incorrecta resultava em sumária execução por decapitação, seja com uma foice, ou um par de tesouras. A “Senhora” é também a personificação da insolação, além de enlouquecer as pessoas como causa do calor, em vez de decapitação. Sua descrição varia entre uma menina de 12 anos de idade, uma mulher velha, ou uma mulher bonita em geral.


1º LUGAR 
Lamashtu
Origem: sumeriana e da mitologia mesopotâmica
Também conhecido como: Dimme


Lamashtu é um hediondo e aterrorizante demônio. Diz-se que ameaça mulheres durante e após a gravidez. Ameaças de sequestros de crianças enquanto estão amamentando, para beber seu sangue, e mastigar seus ossos.

Acrescente a isso o fato de que seus hobbies incluem: infestar rios e lagos, matando plantas e outras formas de vida, sugando o sangue dos homens, criando distúrbios de sono, espalhando doenças e enfermidades, e provocando pesadelos.

Diferentemente da maioria dos demônios da mitologia mesopotâmica, ela não obedece a hierárquias, ou a qualquer deus ou homem, ou mesmo qualquer um da hierarquia celestial. Assim, Lamashtu era a personificação do mal, fazendo que as mulheres grávidas e seus entes queridos rotineiramente invocavam outro demônio, Pazuzu, para protegê-los. Para os não iniciados, Pazuzu era o demônio que ficou famoso pelo filme “O Exorcista”. Conta-se que Pazuzu e Lamashtu foram ferozes rivais, que se atacam sistematicamente na primeira oportunidade. Mesmo Pazuzu sendo conhecido por trazer fomes e secas, em grávidas tinham tanto medo de Lamashtu, que preferiam correr o risco! Isso significa que, sim, o desempenho Linda Blair em “O Exorcista” não foi nada, se comparado à ira de Lamashtu! Lamashtu é geralmente descrito como um “híbrido mitológico”, com a cabeça de uma leoa, os dentes e as orelhas de um burro, a pé de um pássaro (completo com garras afiadas), bem como um corpo peludo, e dedos longos e afiados e unhas. Ela é geralmente representada por uma combinação de um cão e um porco segurando cobras, de pé ou ajoelhado sobre um burro; sutil…


Baseado no que foi visto no Listverse
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s