RECIFE AGUENTA UM TSUNAMI?

Publicado: 06.07.2013 em BR, Nordeste, Sem categoria, Sociedade, tempo, Terremotos, Tragédia
Tags:

Governo revela que “Novo Recife” é plano estratégico contra Tsunamis

Descoberta a verdadeira função das 13 torres que serão erguidas no Cais José Estelita. Movimentações civis vêm criticando a construção do “Novo Recife, alegando que essa violenta implantação desrespeita princípios básicos de uso e requalificação dos espaços públicos, aristocratizando e limitando o usufruto da região. No entanto, inconscientemente, os movimentos contra o novo empreendimento dubaiano estavam cometendo injustiças sumárias. O Projeto Novo Recife, sob falsa bandeira imobiliária, é na verdade um plano arrojado que antecipa uma possível necessidade de contenção das futuras torrentes de águas. Caso o derretimento das geleiras seja realmente confirmado e maremotos suscitem Tsunamis, o Recife estará completamente protegido por uma colossal barreira de contenção.  Se os Maias ou qualquer previsão apocalíptica estiverem corretos, Recife está, sem sombra de dúvidas, na lista das primeiras cidades a serem deletadas do mapa-múndi. Finalmente os governantes pensaram no bem estar futuro da população. “O que os movimentos #ocupeestelita e o Direitos Urbanos vêm fazendo com a imagem do novo bairro é injusto e inadvertido. Por isso resolvemos deixar o plano às claras”, afirma John Dicostas, vice-prefeito do Recife/Madri.

Fonte: Diário Pernambucano

Segundo conta Lucivânio Jatobá, uma parte de Pernambuco já foi atingida por ondas gigantes, porém há simplesmente 60 milhões de anos, quando nem de longe havia vida humana. “Foram encontradas evidências de que um tsunami aconteceu também na região de PAULISTA”, conta. Tanto tempo depois, em se tratando dessas grandes tragédias naturais, os velhos versos de Jorge Ben Jor parecem inquestionáveis. “Moro num país tropical, abençoado por Deus e bonito por natureza.”

Fonte: NE10

MEGATSUNAMI ATINGIRÁ PERNAMBUCO
Teoricamente, é possível que uma erupção do instável vulcão Cumbre Vieja em La Palma (uma das Ilhas Canárias) possa causar um imenso deslizamento de terra para dentro do mar. Nesse potencial deslizamento de terra, a metade oeste da ilha (pesando provavelmente 500 bilhões de toneladas) desabaria catastroficamente dentro do oceano. Esse megadeslizamento de terras causaria uma megatsunami de cem metros que devastaria a costa da África noroeste, com uma onda de trinta a cinqüenta metros, a qual alcançaria a costa leste da América do Norte muitas horas depois, causando devastação costeira em massa e a provável morte de milhões de pessoas. Especula-se também acerca da possibilidade de tal cataclisma atingir a costa norte e nordeste brasileira, fato que desperta a preocupação de algumas autoridades, tendo em vista a inexistência de qualquer estrutura de prevenção de tsunamis no Brasil.

Segundo Bill McGuire, diretor do Centro de Pesquisa de Riscos Benfield Grieg, da University College of London, existe a possibilidade de essas ondas gigantes atingirem a região Norte e Nordeste do Brasil.

Este cientista têm previsões catastróficas para o Brasil. McGuire especula que o bloco vai cair e gerar tsunamis que vão atravessar os oceanos até 19 horas depois da erupção, ondas de 4 a 18 metros iriam atingir a costa Norte e Nordeste do Brasil, do Pará à Paraíba. A ilha de Fernando de Noronha seria um dos locais onde a tsunami chegará com mais força no Atlântico Sul.

Segundo Mc Guirre, essa seria a provável sequência dos acontecimentos:

– uma erupção do vulcão Cumbre Vieja, na ilha La Palma, Arquipélago das Canárias, jogaria no mar um volume de terra com 500 km3. A queda provocaria a formação de ondas gigantes;

– o intervalo entre uma onda e outra seria de apenas 10 minutos. Logo que começassem a se formar, cada uma delas teria 120 quilômetros de comprimento;

– em apenas 1 hora, as ondas chegariam a uma velocidade de 720 km/h e atingiriam a costa do Marrocos com elevações de 100 metros;

– enquanto viajam pelo mar aberto, como acontece com todos os tsunamis, as ondas perdem velocidade e ficam menores em comprimento. Já a altura cresce à medida que elas se aproximam da costa;

– as ondas seriam fatais para cidades baixas, como a cidade de Belém do Pará. “A parte mais alta de Belém tem só 30 metros de altura. O famoso Mercado Ver-O-Peso, por exemplo, ficaria encoberto por água”, diz José Geraldo Alves, do Centro de Geociências da Universidade Federal do Pará;

– em Jericoaquara, Ceará, as ondas arrastariam estruturas sem raízes fixas, como bancos de areia. Uma energia tão grande quanto a de um tsunami faria em minutos o trabalho de anos do vento e é bem possível que as dunas fossem varridas do mapa;

– a vida marinha no arquipélago de Fernando de Noronha, seria muito afetada. O impacto da água poderia destruir os corais e, com isso, modificar todo o ecossistema. Dezenas de espécies de animais poderiam morrer. Entre eles, muitos golfinhos, símbolos do local.

O Brasil não será a única vítima das ondas gigantes nas Américas. O tsunami também pode levar à destruição das ilhas caribenhas e de alguns estados americanos, como a Geórgia e a Flórida, que serão atingidos cerca de nove horas após o início do tsunami

As ondas que atingiriam os litorais Norte e o Nordeste teriam 20 metros de altura e 6 quilômetros de comprimento. Elas levarão tudo o que estiver perto da costa. Em locais onde a topografia é baixa, poderão alcançar até 10 quilômetros território adentro.

Finalizando, a probabilidade de ocorrência de um tsunami dessas proporções existe, mas é pequena. O fato é que, uma vez ocorrido o megadeslizamento de terra dentro do mar, nas Ilhas Canárias, a população do litoral das regiões Norte e Nordeste teria menos de 20 horas para ser avisada e transportada para locais mais altos.

Fonte(s): Ciências e Poemas

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s